SABIA QUE SE VOCÊ RESPIRAR OXIGÊNIO PURO, PODE MORRER????

 

 

 O ar que respiramos é uma mistura complexa de gases, com cerca de 21% de Oxigênio78% de Nitrogênio e 1% de outros gases, além de variações de vapor de água… Acontece que somente o oxigênio é absorvido, os outros gases entram, mas são liberados na expiração.

 

A principal finalidade da respiração é fornecer oxigênio fresco para o sangue nos pulmões e desfazer-se do gás carbônico. O sangue absorve e supri nosso organismo deste elemento tão necessário a nossas funções.

 

Em uma pessoa normal o oxigênio extraído do ar é suficiente para nutrir as células de todo o corpo. Nós inspiramos, o alvéolo se enche de ar, e, pelo mecanismo de difusão nas suas paredes, ocorre as trocas gasosas do sangue. Em situações anormais, como de asfixia, que a quantidade de oxigênio está reduzida, seja por entrada de água ou de fumaça nos alvéolos, aumenta-se a oferta do gás para 40 a 75%, e desta forma auxiliar a restauração do sistema. Misturas de até 65% de oxigênio no ar podem ser inaladas por períodos longos sem efeitos negativos à saúde.

 

O oxigênio respirado a 100% é tóxico aos pulmões e, por não dizer, a todo o nosso organismo. Foto: Reprodução/salud

 

Porém, o oxigênio respirado a 100% é tóxico aos pulmões e, por não dizer, a todo o nosso organismo. O excesso (à pressão atmosférica) pode colapsar os alvéolos, isto é, estes diminuem de tamanho, murcham pela falta do nitrogênio, diminuem assim a troca gasosa pelo sangue e chegam a fechar totalmente, pendendo a sua função. Só para uma observação: Em condições normais, o nitrogênio que inspiramos fica preso no alvéolo para mantê-lo inflado. Outras implicações da toxicidade do oxigênio puro é a formação de edema pulmonar (acúmulo de fluídos nos pulmões), fortes dores no peito e cegueira. Já em exposição à pressão acima da atmosférica, como em ocasiões de mergulho profundo, os sintomas são náuseas, tontura, câimbras musculares, confusão mental, turvação da visão, convulsões e eventualmente a morte.

 

 

Olá pessoal, esta página tem o intuíto de passar experiências e noções de uma mãe/bióloga que as vezes não sabe se decidir entre a ciência e a intuição. Digo isso porque uma coisa é ter conhecimentos  numa determinada área e outra é tu conseguires aplicar estes conhecimentos na tua vida materna, pois quando falamos em filhos tudo que sabemos se desconstrói no primeiro momento de indecisão. Não adianta eu ter plena certeza de que a situação pode ser nociva para saúde de meus filhos, se por outro lado eu também sei que aquilo que eles estão experimentando será importante para o desenvolvimento deles. Por esse motivo que lhes garanto que "SÓ QUEM SABE, TEME".